CITOLOGIA ONCOLÓGICA OU CITOPATOLÓGICO

Também chamado de citologia especial ou exame de líquidos. Compreende a análise das células presentes nos fluidos e secreções orgânicas, como urina, escarro, líquido pleural, líquido ascítico, lavado broncoalveolar, líquor entre outros, proporcionando informes valiosos para confirmar ou afastar o diagnóstico de determinadas doenças.
Utilizada no diagnóstico diferencial de efusões (neoplásicas e infecciosas), em diversos sítios anatômicos. A citologia oncológica, embora não seja determinante, é uma análise inicial de grande valia na investigação de efusões patológicas.

METODOLOGIA

coloração rotineira é Papanicolau. Conforme suspeita clínica serão realizadas colorações específicas, por exemplo para BAAR e fungos. Realizamos um bloco citológico sempre que há material suficiente. O bloco citológico (Cell-Block) consiste na inclusão em parafina de qualquer precipitado obtido por centrifugação de escarro ou líquidos, seguindo-se de cortes histológicos.

PROCEDIMENTOS DE FIXAÇÃO E ACONDICIONAMENTO

– Raspados e escovados em geral: identificar no fosco da lâmina as iniciais do nome do paciente; dispor o esfregaço na lâmina e imergir imediatamente no álcool a 70%.
– Líquidos: urina, lavado vesical, derrame pleural, líquido ascítico, líquido articular, lavado peritoneal, lavado brônquico, liquor, conteúdo cístico, etc. O material deve ser colocado em frascos hermeticamente fechados, devidamente rotulados, com volume igual de álcool a 70%. Neste material, também poderá ser realizado exame de cell-block.
– Secreções: escarro, secreção nasal e outros. O material deve ser colocado em frascos hermeticamente fechados, devidamente rotulados, com volume igual de álcool a 70%. Se houver mais do que um local de coleta, identificar os frascos e referir a que local exato corresponde cada frasco.

REQUISIÇÃO DO EXAME

A requisição médica é um documento e deve ser preenchido corretamente, com letra legível, deve estar assinada e conter o nome do médico solicitante, CRM, carimbo e seu telefone para contato. Deve obrigatoriamente conter nome completo do paciente, idade, sexo, etnia, nome da mãe, antecedentes pessoais e familiares de relevância para o diagnóstico, identificação do material, topografia anatômica do mesmo e se for o caso, designação de marcações prévias (por exemplo, margens ou pontos para orientação do espécime). Lembrar sempre de informar as hipóteses clínicas, resultados de exames de imagem relacionados e exames (anatomopatológicos ou outros) pregressos relevantes.

PROCEDIMENTO DE BIOSSEGURANÇA

As amostras podem ser potencialmente infectantes até sua fixação. Devem ser manuseadas conforme as normas existentes.