EXAME PEROPERATÓRIO (CONGELAÇÃO)

O exame por congelação é um procedimento diagnóstico imediato, que permite ao médico cirurgião conhecer o diagnóstico de seu paciente durante o ato cirúrgico, e assim, definir melhor, naquele momento, o procedimento cirúrgico mais adequado.

Exame este realizado durante o ato cirúrgico, onde o cirurgião retira material que deverá ser analisado e diagnosticado pelo patologista em poucos minutos. Pode ser utilizado para se determinar a natureza de uma lesão como, por exemplo: tumores benignos e malignos, processo inflamatório, ou para definir se a margem cirúrgica está livre da lesão.

METODOLOGIA

Com o material na mão, o patologista realiza o exame macroscópico, cortes e esfregaços citológicos “imprint” ou “squash” (se necessário), logo após seleciona a secção que será submetida à congelação. Em um equipamento especial “criostato”, que após atingir a temperatura ideal de congelamento (-20 a -35º), o patologista inicia a realização dos cortes do tecido a uma espessura em torno de 4 micras.
A secção é colocada sobre uma lâmina de vidro, corada pelo método de Azul de Toluidina ou hematoxilina-eosina, coberto com lamínula e levado ao microscópio para ser analisado. Desta forma, a depender do resultado, o cirurgião pode modificar a conduta cirúrgica, complementando com uma ampliação da ressecção inicial, realizar cirurgia radical ou se certificar de que o material retirado é suficiente do ponto de vista qualitativo e quantitativo para posterior exame de parafina convencional e imuno-histoquímico.

PROCEDIMENTOS DE FIXAÇÃO E ACONDICIONAMENTO:

O material para congelação deve ser a fresco, somente após congelamento e diagnóstico deverá ser fixado em formol a 10%.

REQUISIÇÃO DO EXAME:

A requisição médica é um documento e deve ser preenchido corretamente, com letra legível, deve estar assinada e conter o nome do médico solicitante, CRM, carimbo e seu telefone para contato.Deve obrigatoriamente conter: nome completo do paciente, idade, sexo, etnia, nome da mãe, antecedentes pessoais e familiares de relevância para o diagnóstico, identificação do material, topografia anatômica do mesmo, e se for o caso, designação de marcações
prévias (por exemplo, margens ou pontos para orientação do espécime).Lembrar sempre de informar as hipóteses clínicas, resultados de exames de imagem relacionados e exames (anatomopatológicos ou outros) pregressos relevantes.

PROCEDIMENTO DE BIOSSEGURANÇA:

As amostras podem ser potencialmente infectantes até sua fixação. Devem ser manuseadas conforme as normas existentes.